Nem Sempre Zen®

Shadow Work | Sessões de Aprofundamento Pessoal | Espiritualidade

As Runas como ferramentas de autoconhecimento

Novidade: Leitura de Runas

 

O que são Runas?

 

Runa = mistério divino, segredo, sussurro


As runas estão envoltas num misticismo muito grande mas na realidade são “apenas” letras de um alfabeto antiquíssimo.

 

O movimento neo pagão actual popularizou as runas como símbolos mágicos com qualidade divinatórias, mas ela são letras de um alfabeto germânico como tantos outros de outras culturas e com múltiplos usos, em que cada caractere corresponde a um ou mais valores fonéticos.

A sua origem histórica é incerta, mas pode estar ligada ao alfabeto latino, sendo, por isso, julga-se um produto do contacto do mundo germânico com o romano.

 

Hélio Pires in Mitos e Lendas Nórdicas



Frequentemente associado aos países do norte da Europa, consta que o alfabeto rúnico mais antigo se encontra na Península Ibérica, aqui bem perto de nós, na Serra do Alvão.

 

“Tem-se procurado filiar as runas nos alfabetos semita, grego e latino, ou ainda em certos alfabetos antigos da Itália, em particular da Itália setentrional, havendo igualmente quem as tenha julgado uma criação germânica, seja numa época muito remota, seja em tempos mais recentes. De todas estas hipóteses, porém, as únicas que ainda congregam em sua volta os especialistas mais autorizados são as duma origem latina, ou grega, ou mixta; mas deve igualmente dizer-se que a hipótese norte-itálica não tem deixado de impressionar runólogos de nome (…)”

Luis Cardim (1929 ?)

 

Alguns académicos referem que as Runas eram mensagens tão vulgares como: “Manel, anda jantar!” ou “amanhã há pescaria!” – o que não deixa de ser divertido!

No entanto, existe também uma corrente de estudiosos e amantes da mitologia que acreditam que estes símbolos eram igualmente utilizados como ferramentas oraculares e mágicas.

 

Do ponto de vista histórico e exotérico, as runas eram um sistema fonético e gráfico usado até o século XIV na Suécia, até o XVII na Islândia e até o XIX nas regiões remotas da Noruega.

(…)

Do  ponto de vista esotérico,as runas não são somente um alfabeto (…) As runas consistem, na verdade, numa “metalinguagem”, ou seja, num sistema simbólico complexo que permite a transmissão de outros significados, além dos normalmente expressos por uma língua. Nesse sentido, elas guardam certa semelhança com a poesia, que muitas vezes foi um meio usado pelos leigos para preservar e transmitir conhecimentos místicos.

 

Mirella Faur in Mistérios Nórdicos

 



A origem mitológica das Runas

 

Mitologicamente, as runas são associadas ao deus Odin que, no entanto, não as inventou, mas obteve-as por meio de um sacrifício voluntário, uma autoimolação semelhante às iniciações xamânicas.

 

Mirella Faur in Mistérios Nórdicos

 

A descoberta das runas é atribuída ao deus nórdico Odin. Conta a história, através da literatura medieval islandesa,  que o todo poderoso deus se pendurou de cabeça para baixo, num dos ramos da árvore chamada Yggdrasil, a árvore Guardiã da vida e do conhecimento que une o eixo dos 9 mundos na mitologia nórdica.

Durante 9 dias e 9 noites, Odin agonizou, para no final triunfar e assumir a conquista da sabedoria das runas. Assim, com o seu sacrifício ele concedeu-nos, a nós humildes habitantes da terra, a possibilidade de usufruir também da sabedoria destes símbolos mágicos.

 

 


Misticismo e utilização mágica


Tal como o Tarot, os oráculos ou outras formas de aconselhamento divinatório, as runas não prevêem o futuro pois isso iria bater de frente com o livre arbítrio do ser humano, que é sagrado. Logo, usamos as mensagens destes símbolos como conselhos – que podemos ou não seguir.

 

As runas atuam nos níveis físico, mental e espiritual; elas permitem a conexão com as forças que modelam o futuro, que estão em concordância com as opções e as decisões individuais tomadas no passado e com as atitudes do presente. Por meio desse insight, observa-se a formação dos padrões energéticos e sua possível modificação: ora para acelerar eventos, ora para impedir as consequências.

As runas não definem aquilo que irá acontecer, mas apontam a direção das ações específicas e os efeitos/consequências potenciais. O futuro não é considerado fixo e imutável, pois, ao mudar a forma de perceber ou responder a uma situação, muda-se também a energia que produz o resultado.

 

Mirella Faur in Mistérios Nórdicos

 


Porquê Runas como ferramenta de autoconhecimento?

 

Porque nos “dão” mensagens muito simples e directas, ligadas ao meio que nos rodeia, o que nos permite uma ligação maior à nossa real natureza, à terra, ao universo.

Pessoalmente, tenho uma ligação muito grande a uma época no tempo e a um lugar em que me vejo numa determinada função, a aconselhar pessoas por meio destes símbolos.
Por isso comecei há um par de anos a estudar mitologia nórdica, paganismo e Runas – o que se tem provado um verdadeiro desafio dadas as diferenças entre as nossas culturas mas simultaneamente uma viagem muitíssimo interessante.

 



Acredito que é possível contar uma história e ajudar alguém a desenlaçar algo que parecia emaranhado e trazer luz ao oculto.

Decidi por isso trazer este serviço a público, de leitura de Runas, consciente de que trabalho apenas como um veículo de orientação e aconselhamento e que a magia que elas nos trazem emana de nós próprios.


Consulta as FAQS sobre as leituras AQUI

 

Se quiseres fazer uma leitura de Runas, faz a tua marcação AQUI ou envia-me uma mensagem através do formulário abaixo ou pelo e-mail

 

patriciagomes@nemsemprezen.pt

 

 

Nota: os subscritores do site NEM SEMPRE ZEN têm 20% de desconto na Leitura Geral de Runas.

 

 

5 1 vote
Article Rating
Partilha

Leave a Reply

2 Comentários
newest
oldest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Michelle
Michelle
1 Março, 2021 09:00

Adorei!
Super interessante.

error:
2
0
Adorava saber o que pensas sobre este assunto ;)x
()
x