Nem Sempre Zen

Shadow Work * Aconselhamento e Psicoterapia

O percurso de transformação pessoal com a sombra

uma pequena reflexão sobre o percurso de transformação pessoal com a sombra através de um verso da música “The Narcissist”, dos Blur

 

blur – The Narcissist

 

A beleza da arte é que independentemente da intenção original do artista quando cria a sua obra, a interpretação final vai ser sempre a tua.

Foi o que senti quando ouvi o 1º verso da música “The Narcisist”, dos Blur.

Não sei no que é que o Damon Albarn estava a pensar quando escreveu a letra, mas a minha interpretação desta música tem muito que ver com o trabalho de integração do lado sombra da nossa personalidade.

 

 

Looked in the mirrorSo many people standing thereI walked towards themInto the floodlights

 

 

 

 

Looked in the mirrorSo many people standing there

 

No primeiro verso da música “The Narcissist” levamos logo com o impacto de olhar o espelho e ver muitas pessoas do outro lado.

Isto, muito simplisticamente falando, é o que todos nós enfrentamos quando começamos a fazer trabalho com a sombra (shadow work).

 

Olhamos para um espelho – a nossa auto reflexão durante ou após a primeira sessão –  e começamos a perceber as várias personalidades que temos dentro de nós.

Em cada um de nós existem várias pessoas: a que pensamos que somos, a que pensamos que o mundo vê e aquela que realmente somos… bom essa geralmente está escondida no inconsciente e será a nossa sombra.

Esta é a primeira etapa do shadow work: o impacto de olhar para dentro de nós próprios e perceber o que está lá dentro.

E aqui começa o nosso percurso de transformação pessoal.

 

 

I walked towards themInto the floodlights

 

A segunda etapa surge quando intensificamos o trabalho de shadow work para abraçar a nossa sombra.

Após o primeiro impacto, já temos coragem de avançar e ir ao encontro destas pessoas – incluindo aquela malandra que teima em esconder-se.

Com o tempo, vamos chegar ao ponto de perder a vergonha e vamos olhar de frente estas várias pessoas, com as suas diversas personalidades, colocando-as despidas e sem censura sob a luz dos holofotes.

Vamos observar atentamente cada poro, cada ruga, cada estria… e vamos odiar e amar todo e cada pequeno defeito!

 

 

 

 

Muitas vezes, ao longo da vida, vais deparar-te com situações que te põe frente a frente com o teu lado sombra e nem vais perceber o que está a acontecer.

Na vertigem do dia a dia é muito difícil conseguirmos ter tempo e disponibilidade emocional para nos dedicarmos a olhar para os nossos defeitos ou afectações e perceber de onde vêm e como não fugir delas.

Também por isso é que o espaço terapêutico é importante, para te dar tempo para reflectir.

 

 

~~

 

Queres marcar uma sessão? Vê todas as infos AQUI e envia um email para nemsemprezen@gmail.com.

 

 

 

Partilha
error: