Nem Sempre Zen

Shadow Work | Aconselhamento e Psicoterapia ~ Interligando Consciente e Inconsciente

Fazer a ponte entre Psicologia e Espiritualidade

 

Porque é que é tão importante fazer a ponte entre a psicologia e a espiritualidade?

Porque a psicologia tem de ser sobre o cliente (ou paciente, como preferires) e aquilo que é a realidade dele e as suas necessidades.

 

 

 

 

Sou eu, enquanto terapeuta, que tenho de me adaptar e ir estudar de acordo com cada caso.

Porque isto não é sobre mim, é sobre a pessoa que está do outro lado, quer esteja em sofrimento psicológico ou num simples processo de autoconhecimento.

 

Sei que muitos colegas psicólogos poderão discordar, por via daquilo que aprendemos na faculdade – e depois na prática – mas…

Mais uma vez, isto não é sobre nós, não é sobre ser exímio e competente em aplicar as técnicas by the book, de acordo com a teoria em que nos formamos ou sobressair perante um superior.

 

Terapia fora da caixa – ir mais além na Psicologia

 

Quem chega ao meu “divã virtual” sabe que vibro com tudo o que é fora da caixa e não convencional.

Quem chega geralmente vem por referência de outras pessoas que conhecem o meu trabalho e felizmente já sabem que eu vou ouvir e acolher as suas experiências com práticas de auto realização, espirituais e religiosas, sem lhes dizer que são “pessoas muito criativas” ou “que tem uma imaginação fantástica”, como alguns alegam ouvir dos seus psicólogos.

(e isso entristece-me)

 

Por isso, hesitante ao início mas neste momento rendida, tenho trabalhado bastante tentando fazer a ponte entre Psicologia e Espiritualidade.

 

Psicologia e Espiritualidade

 

Cada vez mais acredito que quando recorremos às terapias alternativas, mesmo as de carácter mais espiritual, ter um apoio psicoterapêutico faz toda a diferença.

Isto porque ajuda na integração das aprendizagens, das recordações que surgem ou da compreensão dos traumas que podem trazer confusão e sofrimento.

 

Podes até achar que viver a espiritualidade (e atenção que ela tem muitas formas e feitios!) te vai trazer satisfação instantânea, paz e uma sensação de saberes o teu lugar no mundo.

Só que, geralmente, acontece o contrário: a vida vira do avesso, começas a ver as true colors das pessoas à tua volta (e nem sempre são bonitas) e podes até sentir-te confuso/a sobre o que fazeres com a tua vida.

 

Uma vida espiritual saudável vem também da compreensão de quem és – e aqui a psicologia ajuda a aprofundar este conhecimento.

Mas isto não acontece num estalar de dedos.

Tal como num período de gestação, a percepção de quem somos e do nosso papel neste mundo e nesta vida também vai crescendo e sendo formada ao longo do tempo.

 

 

 

 

 

Ainda que faças trabalho espiritual, não descures aquele que é por vezes chamado de racional e por isso é mal entendido, que é o trabalho de compreensão e integração das informações que te chegam através da psicoterapia.

 

 

A minha experiência pessoal

 

Eu descobri aquilo que encaixa comigo: com quem sou e com a minha história pessoal.

Continuo a trabalhar com shadow work, continuo a estudar psicologia analítica e continuo a lamber os livros de Terapia Cognitivo Comportamental sempre que necessário.

Mas também me mantenho atualizada sobre as terapias alternativas e sobre as suas consequências na saúde mental.

Continuo a ler sobre ciência e pseudociência e a alimentar o espírito crítico nestas matérias.

E por tudo isto acabei por descobrir que o meu cepticismo é aquilo que me faz compreender melhor o outro e aceitá-lo.

 

Viver a minha espiritualidade para mim mesma, ignorar as trends do instagram ou a tentação de exibir as minhas práticas pessoais, também foi importante.

É importante, pelo menos para mim, separar o que é meu, pessoal, daquilo que é para os outros.

 

Até porque, lá está, tudo isto (o nem sempre zen, as terapias que facilito…),apesar de ser um reflexo de mim, não é tanto sobre mim, mas sim sobre o ser humano que está aí do outro lado do ecrã ou da secretária e que conta uma história – a sua história, a sua realidade e a sua verdade.

 

 

Partilha
error: