Nem Sempre Zen

Shadow Work | Aconselhamento e Psicoterapia ~ Interligando Consciente e Inconsciente

A primeira consulta de Nutrição: como tudo começou

 

A primeira consulta de Nutrição foi um mero acaso. Mas foi assim que tudo começou.

Já uns meses antes eu tinha sido alertada, pela médica de família, para o excesso de peso e aconselhada a ter mais atenção à alimentação. Nunca, porém, me tinha passado pela cabeça consultar uma nutricionista.

Foi então que, além de fazer mais exercício físico, comecei a ir regularmente às consultas de Nutrição.

 

Reeducação Alimentar

 

A minha nutricionista desde cedo me falou em reeducação alimentar porque na realidade é disso que se trata e não de uma simples dieta para perder peso.

O processo de acompanhamento na consulta de nutrição tem servido para aprender a fazer escolhas mais saudáveis para as minhas refeições e, consequentemente, a mudar a minha perspectiva sobre a comida.

 

Nem Sempre Zen - A primeira consulta de Nutrição
Nem Sempre Zen – A primeira consulta de Nutrição

 

Nestas consultas são elaborados planos alimentares, personalizados de acordo com os horários e adaptado aos gostos pessoais.

Mas uma dieta não se faz apenas de mudanças alimentares. Outro dos aspectos focados na primeira consulta foi a necessidade de voltar a fazer exercício físico de forma regular.

 

 

Não é novidade para ninguém que, para perder peso, é necessário um deficit calórico. Segundo o artigo no site da Roche sobre actividade física:

“A actividade física mobiliza mais gordura intra-abdominal do que a dieta e sabe-se que essa é a parte da gordura mais ameaçadora e nociva para a saúde”

 

As dificuldades

 

Apesar de ainda não ter alcançado os meus objectivos (neste caso, os 60kg), já percebi que consigo lá chegar.

Nos primeiros 6 meses de acompanhamento na consulta de Nutrição, consegui perder 6 kg. De lá para cá, voltei a engordar 8 Kg e assim cheguei aos 70kg.

O resultado deste “descarrilamento” foi que a medida do perímetro abdominal e a percentagem de gordura visceral aumentaram.

Mais uma vez, a médica advertiu-me para a necessidade de emagrecer:

Imagine-se com um garrafão de 10 kg de gordura atado à volta da cintura”. E acrescentou: “Do que é que precisa para que haja aí um click?!”

 

Que visão horrível! Preciso do click!

 

O click deu-se mas infelizmente ainda hoje falho no cumprimento do plano alimentar.

Muitas vezes penso que devo ser a pior paciente que a minha nutricionista tem mas sei que ela agradece a minha sinceridade quando lhe digo que não consegui cumprir com o plano alimentar.

Eu decidi que precisava ser 100% honesta com ela, expondo-lhe as minhas dificuldades.

Esta é, sem dúvida, a melhor postura que podemos ter perante os nossos médicos, seja de que especialidades forem pois só assim conseguem orientar-nos da forma mais eficaz.

 

 

Partilha
error: