Nem Sempre Zen

Desenvolvimento Pessoal & Espiritualidade by Patrícia Zen

Nem Sempre Zen
Browsing:

Etiqueta: meditação

Meditação – 20 Janeiro

Hoje convido-vos a mais um momento de união de energias.

Nem Sempre Zen - Meditação 20 de Janeiro de 2019
Nem Sempre Zen – Meditação 20 de Janeiro pelas 20 horas

Dia 20 (domingo) pelas 20 horas, dia que antecede a entrada da Lua cheia, estarei a meditar com o propósito de:

  • Ligar-me mais ao meu “eu”, a quem eu sou de verdade e ter a sabedoria e a sagacidade para manifestar quem sou no mundo material;
  • Ser mais (mais de tudo aquilo que me enche a alma);
  • Assumir e agradecer a abundância na minha vida (saúde, paz, amor, prosperidade financeira, tudo aquilo que temos direito!).

Precisamos de mais verdade para connosco acima de tudo mas também para com os outros.

Por isso esta meditação é sem “mimimis”.

Vamos concentrar-nos em nós, no que somos, no que podemos executar melhor na nossa vida e como poderemos SER melhor.

Vamos olhar para dentro de nós.

Vamos meditar juntos?



Noite longa

Nem Sempre Zen – Noite Longa

Noite longa

Tão longa quanto as noites mal dormidas

Tão densa quanto a minha aflição e tão escura quanto a minha alma

Tão penetrante quanto o meu coração, que sente e anseia

Mas que não se perde nem se desespera em meio à dor e à tristeza

Na esperança do Sol que o recupera

Sol que nasce da Deusa Mãe, é um presente da natureza que nos abençoa

Celebro Yule de coração aberto, convicta de um amanhecer luminoso

A verdade está na Terra que nos ensina o recolher e o renascer, o semear e o colher

Basta escutar a sua voz carinhosa que sussurra no vento

Deusa Mãe, terra abençoada, honro-te com uma simples vela branca, símbolo de pureza

E agradeço-te a orientação e a luz que me ilumina o caminho através da noite mais longa do ano


Sobre o Yule (e mais uma meditação!)

Nem Sempre Zen – It’s Yule time!

Amanhã celebramos o Solstício de Inverno.

Neste dia atingimos a noite mais longa e mais escura do ano.

Nós, ocidentais, que crescemos na tradição cristã, conhecemos esta data como Natal, altura em que nasceu o Salvador.

No entanto, qualquer celebração que se faça actualmente, tem origens muito mais antigas do que se imagina.

Este ano vou comemorar o Yule como eu entendo que deveria ser sempre.

Natal e desafios

Não vou escapar ao jantar “de NATAL” em família e à troca de prendas (para mim desnecessária).

Não vou escapar ao almoço “de NATAL” e às conversas sobre política, greves, desgraças e discussão sobre quem está mais doente e quem fez os melhores doces. Clássico! eheheh

Mas até tudo isso tem o seu charme! Afinal de contas é uma bênção ter uma família –ainda que emprestada – e comida na mesa. Mas este ano levo no coração uma mensagem de paz, de reverência à natureza.

No Yule o Sol aproxima-se da terra – ou nós estamos mais próximos do sol (?) – e comemora-se o nascimento (simbólico) do novo Deus Sol.

Significa que renascemos da escuridão. Observámos as nossas sombras, enfrentámos os nossos medos e dificuldades e estamos preparados para o período de recolhimento que nos irá conduzir daqui a uns meses ao florescer na Primavera.

Há esperança, apesar das lutas e há confiança, apesar dos abalos.

Há sempre um “se” e um “apesar de”. Tudo faz parte da nossa existência. A diferença está na forma como encaramos as batalhas. Hoje mais fortes que ontem.

Meditação (Lua cheia)

Nem Sempre Zen – Dia 22 faremos a última meditação do ano, na Lua Cheia

Sábado, dia 22 de Dezembro é noite de lua cheia, por isso mesmo vou fazer uma meditação, por volta das 21 horas. Será a ultima meditação do ano nesta fase da lua.

Convido-te a meditar comigo no sábado à noite, no teu espaço, como for mais conveniente para ti.

Vamos celebrar o nosso renascimento das trevas e reverenciar o sol, a nossa luz interna que nos impele para respirar fundo e agarrarmo-nos à vida com todas as forças.

Juntas-te a mim nesta meditação?

Feliz YULE!


Balanço do ano 2018

 

Balanço do ano 2018: Neste artigo faço um resumo de um ano fantástico, que foi diferente em muitos aspectos daquilo que tem sido o meu “normal” mas… faço também uma proposta.

 

 

Nem Sempre Zen – Balanço do ano 2018

 

(mais…)


Em busca da Rosa Azul [meditação]

Pegando numa ideia de um capítulo do livro da psicóloga e escritora Patricia Gebrim, proponho fazer uma meditação em busca da Rosa Azul, com o objectivo de nos reconciliarmos com o nosso “Eu Superior”.

 

Nem Sempre Zen – Em busca da Rosa Azul (photo pexels.com)

 

 

Reencontrar o “Eu Superior”

 

No seu livro “Enquanto escorre o tempo”, há um capítulo dedicado à Rosa Azul.

A Patricia fala-nos do “Eu Superior” que é como um guia, a nossa luz, força e coragem e que muitas das vezes é desprezado porque duvidamos da sua existência.

Então ela compara o “Eu Superior” a uma Rosa Azul – que na verdade só existe se acreditarmos nela.

Onde está esse eu superior quando me sinto mal, quando passo por provações, quando os meus limites são testados?” Perguntas tu.

A resposta é: Está aí dentro de ti. Basta acreditares.

 

 

(mais…)


error: