Nem Sempre Zen

Ferramentas de Autoconhecimento e Desenvolvimento Pessoal by Patrícia Zen

Nem Sempre Zen
Browsing:

Etiqueta: caminhadas

Exercício físico com estilo e sem gastar muito dinheiro

 

Fazer exercício físico com estilo e sem gastar muito dinheiro é simples.

Eu sempre gostei de praticar desporto e sou daquelas doidas que adora suar no ginásio. Em criança fiz ginástica, natação, depois joguei voleibol na equipa da escola preparatória e no liceu frequentei a área de Desporto.

 

Nota 1: O meu desporto preferido, porém, era subir às árvores e saltar muros ahah

 

Nem Sempre Zen – É possível fazer exercício físico sem gastar muito dinheiro

 

 

A primeira batalha contra o excesso de peso

 

Há uns 20 anos atrás também estava com peso a mais e resolvi a situação frequentando o ginásio, onde fazia cardio e body combat.

 

Cerca de dois anos (e menos 6 Kgs) depois deixei de ter tempo para ir para o ginásio após o trabalho porque decidi ir estudar à noite.

 

Nota 2: Fiz a licenciatura e o mestrado no pós laboral portanto, entre o sair do trabalho, apanhar comboio, metro, andar do Campo Grande à faculdade e repetir o processo no sentido inverso à 1 da manhã, digamos que já era ginástica que chegasse…

 

 

(mais…)


Flow (aquilo que realmente importa…. – parte 2)

 

Esta é a segunda parte do artigo sobre aquilo que realmente importa (na nossa vida).

 

Neste artigo tento responder à pergunta:

 

Porque é que eu não pensei na dieta durante os dias em que estive longe da cidade, das pessoas e da minha rotina habitual?

 

Flow

O termo flow significa “fluir” em português mas é tão mais do que isso.

 

“A state in which people are so involved in an activity that nothing else seems to matter; the experience is so enjoyable that people will continue to do it even at great cost, for the sheer sake of doing it.”

– Mihaly Csikszentmihalyi, 1990

 

 

Nem Sempre Zen – O flow, é o estado de estar absorvido em qualquer coisa que nos é agradável, algo que nos faz esquecer o tempo e o espaço.

 

 

(mais…)


Aquilo que realmente importa…. (parte 1)

Esta é a primeira parte de uma reflexão pessoal sobre o facto de aquilo que realmente importa ser relativo.

Ao longo da nossa existência vamos aprendendendo que nada é permanente, tudo muda e evolui.

Além disso, tomamos consciência de que tudo é, por nós, apreciado por comparação, dependendo do contexto em que estamos inseridos.

E percebemos que há coisas que realmente não têm a relevância que achávamos que tinham.

 

Usar o tempo para ser livre

 

Uns dias fora do bulício da cidade, em contacto com a natureza, foi o suficiente para perceber que o meu problema com o excesso de peso só existe quando estou no meu ambiente habitual.

 

Nem Sempre Zen – O nosso tempo deve ser usado para aquilo que nos dá prazer e não com ralações sobre questões que afinal não são assim tão importantes

 

Ou melhor, o problema existe e não o nego, a diferença é a forma como o encaro.

Durante os dias em que estive off  não pensei nessa questão, ao contrário de hoje, que retornei à minha rotina habitual.

 

(mais…)


error: