Nem Sempre Zen

Ferramentas de Autoconhecimento | Shadow Work | Desenvolvimento Pessoal & Espiritualidade

Nem Sempre Zen

Saber ser sozinho

 

 

Sempre privilegiei a minha relação comigo mesma, às vezes nem sempre pelos melhores motivos.
Fui sempre retraída e desconfiada porque, depois de uma infância cheia de amor e mimo, a família apartou-se e eu tive de viver muitos processos emocionais de abandono sozinha.

 

Toda a vida achei que só podia depender de mim porque eu tive de ser cheerleader de mim mesma.
Ainda hoje batalho comigo quando sou alvo de atenção e carinho – e talvez por isso me esconda, porque não sei como agir quando tenho o foco sobre mim.

 

Trabalho numa empresa pequena em que nos damos bem mas, tal como em milhares de outras empresas, somos apenas máquinas, temos de estar sempre bem e a sorrir. Ninguém nos pergunta “como é que te sentes? precisas de alguma coisa?”.

 

Até aqui sou eu que, sozinha, tenho de interromper um “momento de cura”, em que precisava de recolhimento, para ter de fechar o coração e ligar o piloto automático de “boa profissional”.
Se trabalhas por conta de outrem aposto que já te sentiste assim também, não?

 

Este pode bem ser o lado mais frágil do “ser sozinho”, que é sentir mágoa por ter feito o caminho sozinha e raiva por ter de ser forte.

 

Quando temos uma boa relação connosco, sabemos que todo o mundo nos pode falhar, menos nós.
E se for realmente uma relação saudável, sabemos que estamos sós mas não rejeitamos o mundo lá fora, nem nos refugiamos numa bolha de desconfiança, nem sentimos rancor ou raiva. Apenas amor, por nós e por quem nos falhou.

 

 

Partilha

4
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Joana SilvaPatrícia GomesSara Tibério Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Joana Silva
Visitante

Mi hermana d’alma, não deve ter sido fácil (e isto é dizer pouco). Eu tenho uma excelente relação comigo e não só gosto como preciso de momentos só meus, a sós. Adoro ler-te e sente-se nas tuas palavras que abriste o coração. A vulnerabilidade é uma parte muito bonita que muitos de nós tentam esconder mas é tão lindo quando vemos alguém a falar do mais profundo do seu ser. Abraço-te! Honro-te! Não estás mais sozinha.

Sara Tibério
Visitante

obrigada pela tua sinceridade e candura ao abrires o teu coração com quem te lê. imagino como tenha sido difícil o teu percurso mas agora já não estás mais sozinha minha irmã✨

error: