Nem Sempre Zen

Autoconhecimento e Desenvolvimento Pessoal by Patrícia Zen

Nem Sempre Zen

Nem sempre, ou quase nunca, zen

Irreverente e perspicaz, a minha amiga Sara, é a convidada de hoje do Nem Sempre Zen.

A Sara é professora de yoga e estudante de astrologia (futura astróloga, portanto!) e é também autora do Vikasa.pt, um site sobre yoga, autoconhecimento e espiritualidade, cuIdados naturais e alimentação saudável.

Quase nunca zen

Por Sara Tibério

Uma vez, no meu primeiro emprego, disseram-me que eu era “desenrascada” (era um elogio, atenção).

Eu mantive a poker face mas por dentro desmanchei-me a rir, apercebi-me que não me conheciam de todo. Posso aparentar ser chill e tal mas por dentro vai aqui uma royal mess.

Há medida que me vou apercebendo dos ciclos da natureza, especialmente das flutuações da lua e das movimentações dos astros, que não dançam apenas no céu mas também dentro de nós, permito-me, mais e mais, sentir e expressar as emoções que me inundam. 

Não tenho truques infalíveis para vos dar sobre o que resulta ou não porque vai depender de pessoa para pessoa e variar de momento para momento; mas há, sem dúvida, coisas que recomendo.

Nem Sempre Zen – “O que vos pede o corpo? Aprendam a escutá-lo.”

A primeira aprendi com uma amiga (beijinhos, salty!)  Num momento em que estejam bem, façam uma lista das coisas que sabem que vos deixam de bom humor, como tomar um banho com sais, comer fruta doce, ouvir uma playlist preparada para essa ocasião… tragam sempre essa lista convosco, apontada no telemóvel, por exemplo.


O que te pede o corpo?

Na hora do rollercoaster emocional, e caso os itens da lista não estejam a ser suficientes, deixem o instinto actuar. O que vos pede o corpo? Aprendam a escutá-lo. Se vos apetecer chocolate comam. Se vos apetecer dormir, não importa a hora do dia, durmam (dentro do possível, claro). Se vos apetecer mexer, pratiquem yoga, dancem sozinhos pela casa ou façam uma caminhada. E se vos apetecer ficar no sofá a ver filmes lamechas, fiquem.

Por último, mas não menos importante, questionem-se sobre a mensagem que esse estado menos zen vos pode estar a tentar transmitir. O que levou a essa situação? É um estado recorrente? Qual o significado simbólico que pode estar oculto?

Momentos destes todos temos, e a toda a hora – o que importa é que não se deixem levar por eles e que os levem com leveza.

Partilha

4
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Patrícia ZenJoana SilvaSara Vikasa Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Joana Silva
Visitante

Muito bom! Obrigada às duas pela partilha

Sara Vikasa
Visitante

obrigada pelo convite minha rica amiga espero com isto que quem leia se sinta LEVE e não com obrigação de replicar nada que vê aqui ou seja onde for! a chave de tudo passa pela auto-observação, pelo menos na minha perspectiva, e no ponto evolutivo em que me encontro (sujeito a alterações em 3,2,1..)

error: