Nem Sempre Zen

Ferramentas de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal

Nem Sempre Zen

Hábitos (e dicas) para ultrapassar os momentos “nem sempre zen”

A segunda convidada a vir partilhar a sua experiência é a minha amiga Joana Silva.

A Joana tem um site, o Terapias D’Alma, onde podes encontrar imensas dicas da medicina ayurvédica para várias situações.

Ela é enfermeira, terapeuta de massagem ayurveda, reikiana e tem uma paixão imensa, de há muitos anos, por cristais e seus efeitos energéticos e terapêuticos.

Já tivemos um artigo dela aqui no site, Infusões para dias “nem sempre zen”, que podes reler aqui .

Hoje a Joana vem partilhar hábitos que a ajudam a ultrapassar momentos “nem sempre zen”.

Nem Sempre Zen - "Liberto a energia que carrego com o movimento, a música anima as minhas células, e eu começo a sentir-me mais alegre e leve". Imagem pixabay
Nem Sempre Zen – “Liberto a energia que carrego com o movimento, a música anima as minhas células, e eu começo a sentir-me mais alegre e leve” (imagem pixabay)

Os momentos menos zen… Todos os temos, certo?!   

Por Joana Silva

Aqui partilho alguns dos meus hábitos nestes momentos, coisas que faço para os conseguir ultrapassar. A minha escolha depende também um pouco da situação específica e do meu estado de espírito (posso estar triste, frustrada, nervosa), mas aplicam-se à maioria das situações.

Dançar: escolho uma música que me faça mexer, e danço. Não necessariamente numa coreografia bonita, muito menos com passos planeados: deixo o corpo seguir o ritmo da música e fazer o que bem lhe apetece. Liberto a energia que carrego com o movimento, a música anima as minhas células, e eu começo a sentir-me mais alegre e leve.

Escrita: escrevo quase sem pensar, despejando aquilo que sinto; desde emoções e preocupações, à forma como desejo que a situação se resolva. Escrevo em poema, em prosa, frases soltas… enfim, o que me apetecer no momento. São desabafos que faço no papel, que me ajudam a perceber-me melhor, sendo também uma boa forma de autoconhecimento.

Cristais e Reiki: conecto-me com a energia de alguns dos meus cristais, como, por exemplo, o quartzo rosa; coloco este cristal no Chakra cardíaco e faço Reiki ao mesmo, durante o tempo que eu sentir necessário. O cristal vai potenciar os efeitos do Reiki, que me ajuda a curar, a libertar os meus bloqueios, e a equilibrar as minhas emoções. Sinto-me sempre com uma paz enorme após fazer isto.

Nem Sempre Zen – Hábitos para ultrapassar momentos mais complicados da vida (imagem pixabay)

Natureza: pode parecer cliché, mas não é. Fugir um bocadinho para mais perto da natureza realmente ajuda-me. Não preciso de ir para a praia, nem para uma floresta (apesar de tanto o mar como as árvores serem muito meus amigos nestes dias); basta um pedacinho de Natureza, como as plantas que tenho na minha varanda. Sento-me ao pé delas, converso com elas, observo cada detalhe de cada uma delas, recebo a energia boa delas. Elas relembram-me muitas vezes que é preciso ter paciência, calma.

Mantras: escutar e entoar mantras. O meu professor de Yoga falou-me de um retiro a que ele foi, em que passavam o dia em silêncio enquanto escutavam mantras, e nas transformações que sentiu dentro dele e notou à sua volta. Decidi experimentar um dia em casa, só porque sim, e fiquei rendida. Sinto-me sempre tão grata, tão leve, mesmo quando não sei ainda entoar aquilo que escuto. Os mantras são realmente algo poderoso.

Estas minhas técnicas podem não ajudar todas as pessoas da mesma forma, mas comigo funcionam.

Para mim o segredo é mesmo esse: procura o que funciona para ti, e faz isso.

😉

Partilha
error: