Nem Sempre Zen

By Patrícia Zen: Desenvolvimento Pessoal | Ser Feliz | Vida Saudável

Nem Sempre Zen
Browsing:

Categoria: Espiritualidade

Sobre rituais

A nossa vida está cheia de rituais, desde o acordar e tomar o pequeno-almoço, ao ir trabalhar ou ir ao ginásio ou até mesmo o hábito de almoçar com a família todos os fins-de-semana.

Outros mais intensos e nem sempre visíveis são os rituais de passagem da infância para a adolescência, do estado de solteiro para o de casado ou quando um familiar morre e há a tradição de “mandar rezar” missas.

O ritual é um processo de transformação, de concretização ou de organização.

Quando nos iniciamos no mundo espiritual (religioso ou não) também somos confrontados com regras e rituais: a avé-maria é rezada X vezes, a vela acendida deve ser da cor Y para o amor e da cor Z para a prosperidade, o círculo deve ser aberto e fechado, o autotratamento de reiki deve ser feito 21 dias, etc…

Nem Sempre Zen – Quando nos iniciamos no mundo espiritual (religioso ou não) também somos confrontados com regras e rituais

Eu recomendo, a quem se inicia no que quer que seja nesta área, muito foco, dedicação e estudo


Mais que isso recomendo que adaptes a tua prática ao teu dia a dia e à tua maneira de ser.

Eu não consigo levantar-me às 5 da manhã para fazer yoga, ginástica, correr, meditar, fazer a marmita para o dia, tomar banho, pequeno almoço, sumos verdes, fazer a cama e ir trabalhar.

Para mim é um desgaste e uma pressão de que não preciso.

Mas se calhar tu tens tempo e energia para isso. Faz!

Tal como uma dieta alimentar é adaptada a cada pessoa baseada na sua genética, estilo de vida e gostos pessoais, as práticas voltadas para a espiritualidade também devem ser ajustadas a cada um de nós de forma individualizada.

Nem Sempre Zen – As práticas voltadas para a espiritualidade deveriam ser adaptadas a cada um de nós de forma individualizada

Quando eu digo que não tenho rituais, é porque eu não me dou bem com obrigações (porque os vejo desta forma). Mas para ti que estás a começar, se combinar com a tua forma de ser e estar fá-lo.

O mais importante é sentires-te bem, completo e em sintonia com o teu ser.

Os rituais, como já referi, podem ser um acto motivador e organizador que, se assim entenderes, te vão ajudar muito nesta jornada.

Partilha

Meditação – 20 Janeiro

Hoje convido-vos a mais um momento de união de energias.

Nem Sempre Zen - Meditação 20 de Janeiro de 2019
Nem Sempre Zen – Meditação 20 de Janeiro pelas 20 horas

Dia 20 (domingo) pelas 20 horas, dia que antecede a entrada da Lua cheia, estarei a meditar com o propósito de:

  • Ligar-me mais ao meu “eu”, a quem eu sou de verdade e ter a sabedoria e a sagacidade para manifestar quem sou no mundo material;
  • Ser mais (mais de tudo aquilo que me enche a alma);
  • Assumir e agradecer a abundância na minha vida (saúde, paz, amor, prosperidade financeira, tudo aquilo que temos direito!).

Precisamos de mais verdade para connosco acima de tudo mas também para com os outros.

Por isso esta meditação é sem “mimimis”.

Vamos concentrar-nos em nós, no que somos, no que podemos executar melhor na nossa vida e como poderemos SER melhor.

Vamos olhar para dentro de nós.

Vamos meditar juntos?


Partilha

Todos temos dons e ninguém é “especial”

“Hoje tive uma conversa com um rapaz. Alguém disse a ele que ele possuía dons espirituais muito fortes e que deveria desenvolvê-los. Eu tive a grata oportunidade de lhe dizer: “todos temos dons e ninguém é “especial” por isso”. Precisamos acabar com esse negócio de fazer as pessoas acreditarem que Mediunidade ou Espiritualidade dá poder ou luz a alguém.

(…) Quem tem algo a ensinar não vive de tecer elogios ou de agradar às pessoas. Ensinar conteúdo é fácil, ensinar sabedoria é transformar vidas!”

Alexandre Cumino

Nem Sempre Zen - Todos temos dons e ninguém é "especial"

Creio que o propósito deste texto, publicado originalmente no Instagram, era chamar a atenção para as “falinhas mansas” de quem gosta de agradar aos outros, usando o elogio e promovendo a ideia do quão especial o outro é.

Desde o início da minha jornada de desenvolvimento pessoal que venho lendo que o terapeuta – seja lá do que for – não te vai curar mas sim elevar-te, ensinar-te e motivar-te para que tu te cures a ti mesmo.

Da mesma forma um psicólogo não dá as respostas ao seu paciente, orienta-o para que ele mesmo chegue onde tem de chegar.

“Todos temos dons e ninguém é “especial”

Todos temos algo em nós que às vezes só precisa de um “click” para despertar. E também há uma hora para que tudo se revele diante de nós, por isso, tranquilo.

De alguma forma todos nós podemos fazer algo de bonito com a nossa vida e ajudar alguém. 

“Ensinar sabedoria é transformar vidas”

Usando o exemplo de Jesus Cristo, que ensinou a malta a pescar em vez de lhes por o peixe no prato, há que orientar as pessoas para a sua independência, para não terem de precisar de uma consulta de qualquer coisa esotérica antes de tomar uma decisão importante ou para não sentirem que as respostas estão sempre no outro.

Eu acredito firmemente que um bom psicólogo, terapeuta ou professor, tal com um bom pai ou uma mãe, orientam os seus pupilos, pacientes, filhos, a serem confiantes nas suas capacidades e independentes para tudo na vida.

Partilha

Noite longa

Nem Sempre Zen – Noite Longa

Noite longa

Tão longa quanto as noites mal dormidas

Tão densa quanto a minha aflição e tão escura quanto a minha alma

Tão penetrante quanto o meu coração, que sente e anseia

Mas que não se perde nem se desespera em meio à dor e à tristeza

Na esperança do Sol que o recupera

Sol que nasce da Deusa Mãe, é um presente da natureza que nos abençoa

Celebro Yule de coração aberto, convicta de um amanhecer luminoso

A verdade está na Terra que nos ensina o recolher e o renascer, o semear e o colher

Basta escutar a sua voz carinhosa que sussurra no vento

Deusa Mãe, terra abençoada, honro-te com uma simples vela branca, símbolo de pureza

E agradeço-te a orientação e a luz que me ilumina o caminho através da noite mais longa do ano

Partilha

Sobre o Yule (e mais uma meditação!)

Nem Sempre Zen – It’s Yule time!

Amanhã celebramos o Solstício de Inverno.

Neste dia atingimos a noite mais longa e mais escura do ano.

Nós, ocidentais, que crescemos na tradição cristã, conhecemos esta data como Natal, altura em que nasceu o Salvador.

No entanto, qualquer celebração que se faça actualmente, tem origens muito mais antigas do que se imagina.

Este ano vou comemorar o Yule como eu entendo que deveria ser sempre.

Natal e desafios

Não vou escapar ao jantar “de NATAL” em família e à troca de prendas (para mim desnecessária).

Não vou escapar ao almoço “de NATAL” e às conversas sobre política, greves, desgraças e discussão sobre quem está mais doente e quem fez os melhores doces. Clássico! eheheh

Mas até tudo isso tem o seu charme! Afinal de contas é uma bênção ter uma família –ainda que emprestada – e comida na mesa. Mas este ano levo no coração uma mensagem de paz, de reverência à natureza.

No Yule o Sol aproxima-se da terra – ou nós estamos mais próximos do sol (?) – e comemora-se o nascimento (simbólico) do novo Deus Sol.

Significa que renascemos da escuridão. Observámos as nossas sombras, enfrentámos os nossos medos e dificuldades e estamos preparados para o período de recolhimento que nos irá conduzir daqui a uns meses ao florescer na Primavera.

Há esperança, apesar das lutas e há confiança, apesar dos abalos.

Há sempre um “se” e um “apesar de”. Tudo faz parte da nossa existência. A diferença está na forma como encaramos as batalhas. Hoje mais fortes que ontem.

Meditação (Lua cheia)

Nem Sempre Zen – Dia 22 faremos a última meditação do ano, na Lua Cheia

Sábado, dia 22 de Dezembro é noite de lua cheia, por isso mesmo vou fazer uma meditação, por volta das 21 horas. Será a ultima meditação do ano nesta fase da lua.

Convido-te a meditar comigo no sábado à noite, no teu espaço, como for mais conveniente para ti.

Vamos celebrar o nosso renascimento das trevas e reverenciar o sol, a nossa luz interna que nos impele para respirar fundo e agarrarmo-nos à vida com todas as forças.

Juntas-te a mim nesta meditação?

Feliz YULE!

Partilha

error: