Nem Sempre Zen

Ferramentas de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal

Nem Sempre Zen

A Arte da Fé

Autora do Portal Estrela Guia, a minha convidada de hoje para partilhar os seus momentos “nem sempre zen” é a mulher dos sete ofícios: jornalista, actriz, bailarina, terapeuta holistica mas…. acima de tudo, um ser maravilhoso que tenho o prazer de conhecer pelas andanças do Instagram.

Chama-se Jackye Ferraz e podes acompanhar o trabalho dela aqui.

Nem Sempre Zen – A arte da Fé

A arte da Fé

Por Jackye Ferraz

A vida não é um mar de rosas, verdade. Claro que seria ótimo se assim fosse, pois afinal toda a dificuldade mexe com nosso eu, nos tira da nossa zona de conforto e é assim que entramos em crise. Entretanto, toda a crise mostra-nos um potencial imenso de superação da nossa parte, por vezes nem conhecemos o quão forte podemos ser diante de um momento complicado. A primeira vista normal se desesperar, gritar, achar que está tudo perdido. Digo isso sem julgamento algum, pois é exatamente desse jeito que sinto em alguns períodos da minha vida. E não é porque estamos ou somos mais espiritualizados que nossa agonia é menor, também somos testados e aí mora o perigo da tentação, entrar na onda de que aquela fase menos boa jamais vai passar, então vamos ficando mais tristes, desanimados, podendo até cair na temida depressão.

Mas há algo que pouco de nós tomamos consciência, da nossa grande capacidade de enfrentamento, se em um primeiro instante parece que o mundo desaba na nossa cabeça, quando conseguimos por um segundo nos distanciar um pouco de determinada situação, esperar a poeira baixar, não agir no impulso, respirar profunda e lentamente, a impressão é de que nada é tão horrível, nessa hora nos conectamos com a chamada força interior, algo que pulsa em nós para empurrar-nos para frente. Mas o que é essa sensação? Simplesmente nossa essência a gritar, porque todos temos o poder de vencer qualquer dilema, basta não ter medo. O medo nos paralisa e atrapalha.

Nem Sempre Zen – “vem a procura pela natureza, por abraçar uma árvore, brincar com meus animais, comer uma coisa gostosa, ver um filme bom e rezar

Pois é dessa maneira que eu encaro meus fantasmas. Surto claro nesse primeiro instante pois longe estou ainda de um equilíbrio completamente zen, estou em busca dê, tento e já consegui ultrapassar muitos momentos pesados, descobri nessas horas o quanto consigo resistir e aguentar a dor, a tristeza, a angústia por conseguir compreender que aquilo ali vai de algum modo passar, afinal nada dura para sempre. Na certeza de que no fim tudo acaba bem, se ainda não acabou bem é porque não está no final.

Renascer das cinzas

Então como uma fênix eu renasço das cinzas, depois de muito choro (porque chorar é preciso!) e supero meu momento “nem sempre zen” fazendo uma coisa bem simples: me mimar. Sim, eu me mimo. Me acolho, me acarinho, converso comigo e digo: calma criatura, confia no Universo, tu és uma pessoa boa, isso é só um aprendizado, o que tu deves aprender com isso? Onde anda tua fé? Aquela que tu pregas aos 4 ventos? E depois dessa conversa amigável, eu percebo que sim devo, necessito urgente usar a minha crença, o recado que vem do fundo do coração e me diz: agradece a oportunidade da lição, pede coragem e luz aos teus anjos amigos, amparadores, confia e espera.

A partir dessa nova etapa, vem o domínio da dor, vem o desejo de lutar para logo terminar com esse clima denso, vem a meditação que sereniza, centraliza e me dá um ganho maior, vem a procura pela natureza, por abraçar uma árvore, brincar com meus animais, comer uma coisa gostosa, ver um filme bom e rezar. Rezar consola e fortalece, entrego a Deus e com muita fé digo: Que seja feita a Tua vontade. Uso de todos esses recursos para cercar-me de tudo que possa me animar, me salvar, me trazer de volta ao eixo. O nome disso é fé!


Partilha

2
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Patrícia ZenEloina Ferraz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Eloina Ferraz
Visitante
Eloina Ferraz

Um texto muito verdadeiro onde notamos que mesmo as pessoas muito espiritualisadas têm seus momentos de fraquezas. Somos todos humanos sujeitos a dores, desilusões e tentações. Vale aprender que tudo passa e que amanhã é outro dia. Parabéns Jackye Ferraz, pela sinceridade de sua mensagem. E

error: